Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio KD Inovações Tecnológicas

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


MANUEL BANDEIRA no particular-PARTE II



					    
1---Sobre MANUEL BANDEIRA - Os dois primeiros livros, “A cinza das horas” e “Carnaval”, surgidos antes da Semana de 22, embora ainda em tom lírico- melancólico (= Simbolismo), já mostram certa liberdade formal. ----- Poeta do coloquial e do prosaico, sabia enxergar muito além.  Trabalhava a linguagem no sentido da comunicação despojada.  Seu poema “Os sapos”, satirizante, foi uma espécie de hino nacional dos modernistas. 2---Poema A ESTRELA - livro “Estrela da manhã”, 1936 ----- “Vi uma estrela tão alta, (...) Mais triste ao fim do meu dia.”  Análise: 1-Estrutura do poema - sete sílabas poéticas / quadras / repetição de palavras (anáfora) / rimas:  fria-vazia-dia-companhia-luzia-fazia-dia. 2-Subjetivismo - permanência do Romantismo na poesia modernista.  Sensação de isolamento e melancolia. 3-Na primeira estrofe, o EU-POÉTICO (NARRADOR do poema) deixa transparecer um aspecto importante de sua vida - é vazia. 4-Na segunda, ele atribui à estrela uma característica dele próprio - estrela sozinha, solitário ele. 5-‘Fria’ é uma palavra-chave (importante) no poema porque reflete a vida atual do poeta, sem calor, ânimo, companhia... 6-Desejo do eu-poético de receber a estrela e não pode ser realizado - 7-“...esperança triste...” - expectativa não concretizada. 8-O eu-poético, a estrela, representa um desejo impossível. 9-A esperança ainda existe para o eu-poético?  Ele utiliza o tempo pretérito, mostrando que no passado havia uma esperança remota, não mais agora. 10-“...para dar uma esperança ao fim do meu dia.” - fim do dia significa fim da vida. 11-Para o eu-poético, estrela inacessível = felicidade inacessível.  ---  O eu-poético só pede à estrela que venha lhe fazer companhia porque sabe que isto é impossível. 12-Num poema lírico, o eu-poético expõe suas emoções:  desencanto com a vida, amargor, solidão. 3---Poema POÉTICA - “Estou farto do lirismo comedido (...) lirismo que não é libertação.” Análise: 1-Manifesto poético modernista - repúdio à literatura:  a) acadêmica, oficial e sem originalidade - “lirismo funcionário público com livro de ponto expediente/protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor” / b) erudita e exibicionista - “Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocábulo.” / c) oportunista e insincera - “Estou farto do lirismo namorador político raquítico sifilítico de todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.” 2-Tipo de lirismo reivindicado pelo poeta - o lirismo espontâneo, “dos loucos (...) dos bêbados (...) dos clowns”, o lirismo-emoção não preso a regras. 3-Movimento poético (criticado)  anterior ao Modernismo - O Parnasianismo. 4-Afirmações justificadas pelo texto lido - recusa a poesia com apenas trabalho formal, não vê na poesia um meio para exibir erudição, recusa poesia que seja expressão da verdade interior, condena a poesia acadêmica repetidora de lugares comuns;  desejo de trilhar um caminho pessoal, reivindicação do direito de expressar-se de modo original, de não seguir o que está consagrado. 5-Pontos em comum com “Cântico negro”, do português JOSÉ RÉGIO - intenso desejo de libertação pessoal e a recusa em aceitar os valores tradicionais na elaboração de seus poemas. F  I  M
Copyright ATHINGANOI © 2017
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 29 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Sempre digo que foi um cara brilhante. Ma-ra-vi-lho-so. Sem ciúme. Parabéns!

Postado por lucia maria em 25-11-2017

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.